Cuidar do Futuro 

É olhar para nossas

 Crianças hoje! 

  • Cabe a nós, adultos, investir no desenvolvimento físico, emocional, cognitivo e intelectual dessas pessoinhas que são moldadas pelo ambiente que lhes oferecemos. O adulto de amanhã será resultado dos cuidados ou não-cuidados que receberam na infância, essa fase prioritária para a formação do indivíduo adulto. Segundo Piaget (1967), “a inteligência humana somente se desenvolve no indivíduo em função de interações sociais que são, em geral, demasiadamente negligenciadas”.
  • A Primeira Infância, período do desenvolvimento infantil compreendido desde a concepção até os seis anos de idade, ocorrem às experiências primordiais da criança, relevantes para o resto da vida. Nesse período ocorre o crescimento físico, amadurecimento do cérebro e consequente desenvolvimento da inteligência. Quanto melhores forem as condições para o desenvolvimento da primeira infância, maiores as probabilidades de que a criança alcance plenamente suas potencialidades.

              A arquitetura do cérebro começa a se formar nos primeiros anos de vida e continua ao longo do tempo moldada pelos relacionamentos que a criança tem com os pais, parentes e cuidadores em geral. Problemas como violência familiar, agressão, desamparo, negligencia, podem interromper o desenvolvimento saudável do cérebro.

                 Uma arquitetura sólida do cérebro se forma a partir de interação do bebe com um adulto, num jogo de ação e reação. Os neurônios formam novas conexões no cérebro na medida em que a criança instintivamente faz carinhas, sons e gestos e o adulto reage de maneira significativa e focada. A interação forma as bases da arquitetura cerebral, a partir da qual todo desenvolvimento futuro será adquirido. O jogo de ação e reação ajuda a criar conexões dos neurônios estabelecendo as bases emocionais e cognitivas que as crianças precisam para se desenvolver.

                  De acordo com estudos neurológicos, afeto e estímulo adequado é a base para a formação de um cérebro saudável. A falta de vínculos positivos e privação emocional podem levar a graves danos irreversíveis ao desenvolvimento infantil, acarretando problemas na vida adulta como, baixo nível intelectual, problemas de comportamento, delinquência, etc. Uma família funcional, onde seus membros trabalham em conjunto para melhorar os relacionamentos e enfrentar problemas, em que os pais se guiam pelo exemplo, forma indivíduos que, na fase adulta serão emocionalmente estáveis, capazes de enfrentar situações difíceis com maturidade e discernimento.


    Filomena Nunes Ruston
     Psicóloga e Psicoterapeuta – CRP 06/87080
    Fonte:http://www.fmcsv.org.br/pt-br/acervo-digital/ Importância dos vínculos familiares na primeira infância

  •